Peixes no Pinheiros ou no Sapateiro?

Imagens de peixes no Rio Pinheiros compartilhadas nas redes sociais ultimamente a partir das postagens do empresário - e ciclista, usuário da ciclovia do rio - Rogério Lioi Monastero, ganharam visibilidade e vários artigos em blogs e jornais, situando o avanço do Projeto Novo Rio Pinheiros, do governo estadual e suas autarquias (Sabesp, EMAE, Cetesb, DAEE, em conjunto com a PMSP).

Após sucessivos anúncios da necessidade de despoluição dos rios metropolitanos desde a década de 70, foi somente em 92 (ano da ECO/RIO-92) após uma pressão da sociedade capitaneada pela ong SOS Mata Atlântica e Rádio Eldorado, que colheu mais de 1 milhão de assinaturas por um rio mais limpo, efetivou-se um projeto com financiamento do BID para o Rio Tietê. Lembrando que a presença de um jacaré de papo amarelo (o Teimoso) nas margens do Tietê, chamou a atenção dos paulistanos em meados de 92.

Mas o destaque atual é para o Novo Rio Pinheiros, importante programa de saneamento que é parte do Projeto Tietê. Considerando que o Rio Pinheiros é um dos maiores afluentes do Rio Tietê na RMSP, isso irá impactar a qualidade das águas do Tietê.

1 chamada peixes.jpg
Imagem de fundo branco com seguinte trecho escrito extraído de reportagem do site G1 sobre peixes no rio Pinheiro: "Esses peixes só conseguiram aparecer no rio porque os afluentes, no caso aí o Córrego do Sapateiro – que vem da Paulista, passa pela Vergueiro, Parque do Ibirapuera e chega ao Pinheiros – foi recuperado. Toda essa região recebeu saneamento. Então, essas águas com melhor qualidade abrigam os peixes."

Iniciado em 2019, o projeto (totaliza 1,7 bilhões de reais) promete alcançar um nível de oxigenação nas águas que permita vencer o gás sulfídrico – que causa o odor conhecido pelos paulistanos e causa diversos danos à saúde - e promover a volta dos peixes às águas do Pinheiros até 2022. Uma série de programas como expansão da coleta e tratamento de esgotos; desassoreamento e aprofundamento do rio; coleta e destinação dos resíduos sólidos ao longo dos 25 quilômetros do rio; revitalização das margens, além de iniciativas socioambientais.

Malu Ribeiro, diretora da Fundação SOS Mata Atlântica, esclarece no entanto que o rio pinheiros não tem capacidade ainda para abrigar vida, mas a visibilidade de peixes no rio pinheiros ocorre na foz – local onde um curso d’água deságua em outro - de um contribuinte que foi despoluído ao longo de muitos anos e ações aplicadas. Esse córrego, no caso, é o Sapateiro.

O Sapateiro, que nasce nas cabeceiras do espigão da Domingos de Morais, atravessa o núcleo histórico da Vila Mariana, cruza a céu aberto o Parque Ibirapuera e abastece os lagos, segue pela Av. J.K. e deságua no Pinheiros, próximo ao Parque do Povo.

Os moradores do bairro buscam a preservação e a revitalização de seus córregos e comemoram esse evento de esperança da volta dos peixes aos cursos d’água com os paulistanos! A Associação de Moradores da Vila Mariana junto com o Coletivo Chácara das Jaboticabeiras, celebram também, 1 ano do trabalho conjunto que promoveu a inserção do córrego Guariba (nascente na Praça Arquimedes e contribuinte do Sapateiro) na atualização do Geosampa.

#AVM #associacaodemoradoresdavilamariana #ViverVilAMARiana

#chacaradasjaboticabeiras

#riosDesCobertos #rioseruas

#agenda2030 #ecobairro

#CPMVM2021

Imagem de mapa digital da Cidade de São Paulo, das nascentes do Sapateiros - retirado do site GeoSampa-hidrografia e patrimônio.
Imagem de fundo de água no leito do rio em azul, com seguinte texto: O serviço de saneamento básico é a principal ação para a despoluição do Rio Pinheiros. A previsão é que até 2022, mais de 500 mil imóveis estejam conectados à rede de esgoto em SP; até Março de 2021 foram 230.930 unidades. Em área informais, serão implantadas nos córregos, as URQs (Unidades de Recuperação da Qualidade), recolhendo e tratando o esgoto e devolvendo ao rio. Paralelamente ao projeto de saneamento, o programa promove o desassoreamento do Rio Pinheiros, com limpeza dentro do canal, ao longo dos seus 25km.
Sete imagens em fundo azul com os seguintes escritos: centralizado acima escrito Bacia do Sapateiro, abaixo escrito Córrego Sapateiro (Curtume/Matadouro) - Córrego Boa Vista (Caaguaçu), abaixo sete imagens com os escritos: foz do Sapateiro no rio Pinheiros, o mapa da Bacia do Sapateiro, as nascentes do Boa Vista na Praça Arquimedes, duas fotos do Sapateiro correndo livre no Parque Ibirapuera e duas fotos do Boa Vista correndo sob grades na Rua Dr. Amâncio de Carvalho, fonte Rios e Ruas.